Weby shortcut
Link
insta
TRA VERSõES thumbnail

TRA VERSõES

Event

: Galeria da FAV/UFG

: Regional

: November 22, 2018 - December 07, 2018

TRA VERSõES
Exposição das pesquisas desenvolvidas por estudantes do curso Artes Visuais Bacharelado da FAV/UFG 2018.

Abertura: 22 de novembro as 10h. 
Local: Galeria da FAV/UFG

Veja programação completa [+]

TRA VERSõES card


Artistas participantes:
Ana Luiza B., Ana Paula R., Iracema Fook, Suellen Bastos, Luiz Fernando, Walison Soares, Natália Basso, Natália Michalzuk, Artur Amaral, Catarina Fernandes, Ilâne Nunes, Sheila Castro, Simone Cabral 21, Debora Taiane, Sther Ko
Matheus Meireles, Carolina Cruvinel, Amaranta Lima

Acompanhamento das pesquisas/Disciplinas envolvidas:
Expografia e Montagem:
Prof. Samuel José Gilbert de Jesus;

Laboratório Produção Artística4:
Prof. Glayson Arcanjo de Sampaio; 

TCC 2:
Profa. Manoela dos Anjos Afonso Rodrigues.

Equipe de Expografia e Mediação:
André Luiz R. A. Zamur, Anna Luiza Cristina Ferreira, Claudyne Sarmento dos Santos, Guilherme Henrique Fagundes Oliveira, Judi van Ferreira, Maria Clara Curti Vieira Alves, Simone Marcelino De Lima. 

Apoio:
Jhony S. Aguiar, Maykell J. Guissoni, Renan A. Wamser, Wander Luiz A. Filho, Simone Marcelino De Lima.

TRA VERSÕES:
Texto por Sther Ko

Tra versões apresenta-se como uma amálgama de quatro instâncias contempladas com as circunstâncias poéticas de 18 artistas. Perpassando os vocábulos dos travessões, significamos as nossas interlocuções neste momento de travessia pela graduação, em que nos colocamos diante de nossas versões, traduzidas por nossas pesquisas e trabalhos. Mas também delineando seus entre lugares, que abrem as interconexões que nos unem em Tra versões.

Em meio aos discursos que transgridem os limites instituídos, os limites do corpo, os limites geográficos, de gênero e de tempo, reverberam, para além dos limites dos escritos e das pesquisas, muitas de nossas vozes. Nestas demarcações impostas por símbolos e linhas, ir além é atraversar, virar do avesso. Atravessar para alcançar o outro, seja deslocando suas perspectivas, traduzindo suas experiências ou acolhendo seus sentimentos. Vendo através dos outros refletimos sobre nós mesmos. Inscrevemos com nossos corpos, nossas histórias, nossas travessias pelos processos artísticos.

As introversões e as extroversões que versam cada interstício, possibilitam entremear lugares de existência e contestação. Ressaltando a multivalência das relações entre nós e os espaços que construímos, ampliando as significações do percurso de apenas um para uma caminhada de todos. Estar em Tra versões é certamente entender a importância do espaço comum na arte e na sociedade. É entrever, nos entrelaçamentos artísticos, a nós mesmos em cada posicionamento, pois passamos por este momento sabendo que os devires na arte são infinitos.