Miniatura - aula magna

Aula magna e conversa com Yara Pina

Evento

: Auditório da FAV e Galeria da FAV

: Regional

: coordenacao.av.bacharelado@gmail.com

: 03 de Setembro 2019 às 10:00 a 03 de Setembro 2019 às 16:00



A Coordenação do Curso de Artes Visuais - Bacharelado convida a todos para Aula Magna e conversa com a artista Yara Pina.
O calendário das atividades que serão ministradas nesse dia são as seguintes: 
Dia 03/09/2019 - 10.00 h - 12.00h: Aula Magna seguida de um debate com o público - Auditório da FAV
Dia 03/09/2019 - 14.00h-16.00h: Conversa da artista com os alunos da FAV - Galeria da FAV



Yara Pina_A bela morte, 2019, detalhe
Fonte: Yara Pina, A bela morte, 2019, detalhe.

 

YARA PINA vive e trabalha em Goiânia. É graduada em Biblioteconomia (2002) e Artes Visuais (2009) pela Universidade Federal de Goiás. Em suas ações explora a fronteira entre ausência e presença, deixando no espaço físico apenas vestígios, marcas e silhuetas que surgem do confronto do seu corpo com outros “corpos”. Sua produção mais recente também tem investigado os rastros da violência em diferentes contextos sociais e históricos e sua relação com o corpo e a memória.

​|Exposições selecionadas|: Mother, I see my self in your eyes (Laundromat Art Space, 2019 / Concrete Art Space, Flórida, 2019, USA); One in a million (Gallery Nosco, Marseille, FR, 2018), Frestas Trienal de Artes, Entre pós-verdades e acontecimentos (SESC Sorocaba, SP, 2017); Performatus 2, O que está a luz de nosso tempo discernimos no escuro (SESC Santos, 2017); Das Virgens em Cardumes e da Cor das Auras (Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea, Rio de Janeiro, 2016); Bienal Internacional Desde Aquí (Bucaramanga, COL, 2014); Open Sessions (Drawing Center, Nova York, 2014-2015); Act + Object + Exchange (Drawing Center, New York, 2014); Name it by trying to name it (Drawing Center, New York, 2015); A Bela Morte: confrontos com a natureza morta no século XXI (Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS); Arte Pará 2012 (Museu Histórico do Estado do Pará, Belém, 2012). |Prêmios|: Salão de Abril de Fortaleza (Fortaleza, 2012, BR); FID Prize 2017 (Foire Internationale du Dessin, Paris, FR, 2016) |Acervos públicos|: Museu de Arte do Rio Grande do Sul, (Porto Alegre, RS); Centro Cultural da Universidade Federal de Goiás (Goiânia, GO); Museu de Artes Plásticas de Anápolis (Anápolis, GO)

 

Yara Pina_Corpus sulcados,
Fonte: Yara Pina, Corpus sulcados, 2019, detalhe.

 

Nos últimos anos, tenho explorado os repertórios da destruição e violência investigando suas marcas e vestígios através de diferentes contextos sociais e históricos, incluindo o momento atual e incerto da democracia. Me refiro, portanto, não apenas aos regimes autoritários de um passado sombrio, mas também ao seu legado de opressão que ainda deixa marcas sobre os corpos e, consequentemente, ao recalcamento das mortes das vítimas com o propósito de destruir a memória de seus nomes. Se, por um lado, essas obras investigam quais marcas e rastros nossas democracias deixam ao repetir a tradição da violência, por outro, questionam quem tem direito ao luto e à memória numa sociedade que adota o apagamento de sua história como política de estado.

Informações: coordenacao.av.bacharelado@gmail.com

 

Fonte: Yara Pina e Samuel de Jesus